Produzido por: http://leitaoemacao.com

  Edição de DEZEMBRO/2017

    3  
    Luiz_Alvim   10 dez 2017  

    AMBEV: O QUE DIZER DELA? - ABEV3

    Olá amigo Turco, 
     
    Na verdade, não há muito o que falar sobre a AMBEV. É uma empresa excelente com uma gestão TOP. Me lembro bem que em 2012, quando iniciei o meu IG, eu tinha dúvidas se deveria colocá-la na minha carteira pois achava que sua ação era muito cara. Mas, quando fui estudar os indicadores históricos percebi que a ação sempre foi cara e que quem comprou lá atrás se deu muito bem, pois o preço da ação geralmente acompanha o desempenho da empresa. Nestes seis anos que ... Ver mais tenho ABEV3 na minha carteira, foram raros os momentos onde a ação ofereceu alguma oportunidade de compra a preços mais razoáveis. Mesmo com a forte crise econômica, que afetou bem a vendas dos seus produtos, a empresa não decepcionou. Ultrapar e WEGE são também exemplos de empresas que apresentam esta característica. 
     
    Abraço, 
    Luiz Alvim  

      Turco, Leitão, Diego curtiram isto.



    5  
    MOISÉS JR.   11 dez 2017  

    COOPERATIVAS DE CRÉDITO: O QUE SE PRECIS...

    Tenho uma conta no Sicoob Credi-Rural Comigo, que tem como Presidente Executivo o Sr. Antônio Chavaglia, também Presidente da Comigo. 
    Ambas são bastante sólidas e muito bem geridas. Acredito que um grande diferencial delas é nunca ter se envolvido em campanhas políticas, como uma outra Cooperativa aqui da região que se envolveu e...FALIU! 
     
    Não possuem taxa de manutenção de conta (mas cobram TED ou DOC avulsos, R$ 3,00 se feitos no internet banking), possuem o FGC-Cooperativo ... Ver mais (que garante até R$ 250.000,00 por CPF, exceto o da cota capital). Cota Capital que rende em torno de 1% líquido, mensalmente e você pode resgatá-la, parcelada ou não, quando sair da Cooperativa. 
     
    Tem uma campanha de aposentadoria pela Cota-Capital...aí vai do Estatuto de cada Cooperativa de Crédito. 
     
    Em suma, enquanto esse gestão continuar, estarei lá. Depois, será outra ANÁLISE FUNDAMENTALISTA, rsrsrs!

      Turco, Leitão, Diego, Luiz_Alvim, Rafa_Costa curtiram isto.



    2  
    Paulo RS   11 dez 2017  

    DISCUSSÕES SOBRE ETERNIT - ETER3

    Resposta do Leitão (em seu Blog): 
    "Oi Mônica! 
    Bom dia! 
    Sim, é uma pena tudo isso… mas muito sujeito de acontecer em qualquer empresa: marretadas do legislativo ou do judiciário. Vide as elétricas, com a Dilma, por exemplo…  
    Se para nós, investidores minoritários, que não temos ligação umbilical com as empresas, já é difícil, imagine para os empreendedores que pegam o boi pelo chifre nas empresa, que dão o sangue… isso sem falar dos trabalhadores, dos empregos, ... Ver mais do impacto nas cidades, etc… 
    Olha, quando uma empresa apresenta problemas e aumento de risco temos sempre duas alternativas: sair logo no começo e partir para outra (afinal, uma das vantagens dos minoritários é essa mobilidade); ou ficar, analisar, acompanhar, assumir o risco e administrá-lo dentro do aceitável para sua estratégia, e pagar para ver… Deixar o risco acima do que é administrável e aceitável é que não pode… 
    Agora o preço está muito baixo, talvez não valha a pena sair no pior momento… Se não saiu antes, agora é que não é bom mesmo. Pondere também o seguinte: quando uma empresa cai em um buraco por problemas de gestão é uma coisa, quando ela cai em um buraco por problemas externos a ela, é outra. Fica a esperança de, passados esses problemas, ela votar a crescer. Mas é apenas esperança, e pode demorar anos… 
    Veja um caso como a Gol, por exemplo, ela é um buraco sem fundo mas é porque a empresa é ruim mesmo, num ramo rum… Já a Eternit é outra coisa… 
    Mas infelizmente é isso: sair agora, no preço mais baixo, não vale a pena. O risco aconteceu, se ele estava dentro do aceitável, ok. Se ele fugiu do aceitável e agora está incomodando, não tem jeito. 
    Fica a lição pra todos nós: sempre manter as alocações equilibradas, risco controlado… mesmo uma empresa hoje, que nos mostra ser excelente, impecável, pode cair em problemas… não tem empresa que está imune a problemas, ainda mais com nosso “Risco Brasil”. E mais: se uma empresa começar a dar problemas, ou saia logo e parta para outras, ou ajuste bem o risco e esteja consciente quanto a ele… 
    Um abraço! 
    Leitão"

      Turco, Rafael_Resende curtiram isto.



    6  
    Turco   11 dez 2017  

    DISCUSSÕES SOBRE ETERNIT - ETER3

    Olá Mônica,  
     
    Estou na mesma situação:   
    ___ Preço médio R$ 3,24;   
    ___ Preço corrigido em base de RFixa R$ 4,65;  
    ___ Perda do "time de saída";  
    ___ Representa 6,36% de minha carteira, quando deveria ser 5%; Motivo: gestão de risco equivocada com  
         compras extras com vias a redução de preço médio;  
    ___ Situação atual: sob cartão amarelo, sem estresse, acompanhando.  
     
    Comungo ... Ver mais da análise do Mestre. 
    Analisar, acompanhar, re-analisar, sair se estressar, manter se confiar, é o que tenho a fazer. 
     
    http://leitaoemacao.(...)

      Abreu, Rafael_Resende, Leitão, Mônica, Capt. Gottlieb, Diego curtiram isto.



    5  
    Turco   14 dez 2017  

    AMBEV: O QUE DIZER DELA? - ABEV3

    No mínimo que são criativos! 
     
    Veja s mensagem quando um link de sua página dá erro: 
     
    http://www.ambev.com(...) 
     
    Erro - 404 
     
    ESTAMOS GELANDO AS CERVEJAS, VOLTE PARA A PÁGINA INICIAL OU CHAME O GARÇOM. 
     
    ... Ver mais

      Abreu, Leitão, Diego, Luiz_Alvim, José curtiram isto.



    3  
    Mônica   16 dez 2017  

    DISCUSSÕES SOBRE ETERNIT - ETER3

    O problema é a nossa essência humana que sempre fala mais alto! 
     
    Nossos instintos nativos vem a tona... não queremos perder.  
    Ficamos cegos diante dos resultados negativos. Queremos acreditar que aquela empresa que te dava orgulho em ser sócio pode estar numa fase ruim e até "normal" . Que um dia voltará a te dar alegrias e assim o tempo vai passando... quando se vê, já não dá mais tempo de reagir.  
     
    Pra dormir tranquilo só tendo uma carteira bem equilibrada ... Ver mais e pulverizada entre setores. Seguir à risca a ordem das compras e se imaginar numa ilha deserta ao ver os resultados trimestrais rs.  
     
    Agir friamente é um exercício que temos que praticar SEMPRE. 
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     
     

      Turco, Luiz_Alvim, Diego curtiram isto.



    4  
    Luiz_Alvim   17 dez 2017  

    DISCUSSÕES SOBRE ETERNIT - ETER3

    Olá Mônica, Paulo e demais amigos do Buteco, 
     
    Eu costumo dizer que sair de uma empresa é muito mais difícil do que entrar. Aprendi isto na prática nestes meus seis anos de IG. Não vejo nada de errado com o nosso “instinto nativo de não querer perder”. Acho que ele pode até nos ajudar bastante nos nossos investimentos, na medida que nos torna mais cautelosos nas nossas decisões. Eu vejo o IG como uma estratégia vencedora e ótima para ser formar uma boa carteira de ações no longo ... Ver mais prazo, mas alguns cuidados são necessários para que as perdas sejam minimizadas.  
     
    Neste período em que pratico o IG, aprendi que a diversificação é importante para ajudar a minimizar as perdas, mas não é suficiente. Precisamos estar cientes de o que investimento em ações pode nos proporcionar um excelente retorno, mas, é também de alto risco. Tão ou mais importante do que ter uma carteira bem diversificada, é definir bons critérios para selecionar empresas para a nossa carteira e utilizar estes mesmos critérios para acompanhar de perto o desempenho de cada empresa. Toda empresa é um ser vivo, em constante mutação. Então, uma empresa que é muito boa hoje e atende perfeitamente os nossos critérios de seleção, pode deixar ser amanhã. E, se isto vier a acontecer, é necessário ter a frieza e a disciplina necessárias para pular fora dela. Sei que falar é muito mais fácil do que agir desta forma, mas se quisermos minimizar as nossas perdas é assim que devemos proceder. 
     
    A ETER foi uma das primeiras empresas que coloquei na minha carteira, bem no início de 2012, mas decidi sair quase três anos depois, porque ela deixou de ser uma empresa boa segundo os meus critérios. Mas, já passei por uma experiência bem negativa com outra empresa, por não ter tido a frieza necessária para agir no momento certo. Errar é também uma ótima forma de aprendizado, desde que tenhamos consciência dos nossos erros e tomemos as providências necessárias para não repeti-los. 
     
    Grande abraço, 
    Luiz Alvim 

      Mônica, Paulo RS, Turco, Diego curtiram isto.



    3  
    Capt. Gottlieb   17 dez 2017  

    DISCUSSÕES SOBRE ETERNIT - ETER3

    Sair de uma empresa é muito mais difícil do que entrar! Esta frase diz tudo. Parabéns Luiz!  
    Já postei neste Buteco o caso do gerente de banco que comprou PETR4 a mais de R$ 40,00 e ficou desesperado ao ver a petroleira despencar para R$ 5,00. Ele usou o FGTS e só comprou Petrobras! 
     
    Tenho um pouco de ETER3 na minha carteira e vou manter. Não penso em comprar mais. 
     
    Quando a PETR4 foi a R$ 5,00 eu comprei mais e com isto o meu preço médio está abaixo ... Ver mais de R$ 20,00. Sei que a petroleira vem sendo assaltada desde a sua fundação, com grande ênfase no período de 2003 a 2016, mas não acredito na sua falência, muito pelo contrário. Agora posso me desfazer dela, com discretíssimo lucro, mas prefiro mantê-la e esperar melhorar muito mais. É no que acredito. 
     
    A melhor maneira de diluir o risco é ter uma carteira de ações bem diversificada. Eu acho que vinte empresas é um bom número (dez seria o mínimo, mas vinte será sempre melhor). Acima disto começa a ficar muito trabalhoso acompanhá-las.  
     
    A meu ver a Eternit é uma boa empresa e imagino que seus administradores trabalhem para recuperá-la. Todavia isto vai levar tempo (médio e longo prazo). Quem tem poucas ETER3 pode vender, se quiser e amargar algum prejuízo, mas quem tem uma quantidade razoável de ETER3 vai ter grande prejuízo se vender. Neste caso, se for possível, é melhor ficar com ela e aguardar dias melhores.

      Turco, Fernando_Klem, Leitão curtiram isto.



    5  
    Luiz_Alvim   18 dez 2017  

    DISCUSSÕES SOBRE ETERNIT - ETER3

    Caro Capt. Gottlieb, 
     
    Creio que cada um de nós, que pratica o IG aqui no Buteco, tem seus objetivos bem definidos e metas a serem alcançadas. Os meus foram definidos lá atrás, quando comecei, e estão ligados à utilização dos dividendos recebidos da minha carteira como complementação de renda após 10 anos. Como estou completando 6 anos de IG, por enquanto, os dividendos que recebo são 100% reinvestidos na própria carteira. Procuro fazer uma gestão ativa da minha carteira tomando ... Ver mais decisões compatíveis com os objetivos que tracei. Algumas empresas que podem fazer todo sentido em carteiras de outras pessoas, para mim não são adequadas. Como faltam apenas quatro anos para eu atingir os meus objetivos, não posso me dar ao luxo de escolher empresas que estejam em situação ruim e que possam levar muito tempo para se recuperar. 
     
    Eu já fui sócio da PETR lá atrás, mas saí quando ficou claro para mim que sua dívida gigantesca, aliada ao uso político da empresa pelos governos petistas a estavam levando para o buraco. Concordo com o amigo quando diz não acreditar na falência da PETR. Eu também não acredito, mas uma empresa ruim, mesmo sem quebrar, pode nos trazer muitos prejuízos. Sob a gestão competente de Pedro Parente, a PETR vem melhorando bastante, mas ainda tem um longo caminho a percorrer até se tornar um negócio competitivo e rentável. E aí é que mora o perigo, pois basta que um governo populista, seja de direita ou esquerda, ganhe as eleições presidenciais do próximo ano, para que a atual gestão da empresa seja trocada por outra pouco comprometida com o processo de recuperação que está em andamento. A corrupção trouxe um prejuízo enorme para a PETR, como a Lava Jato tem nos mostrado, mas, em minha opinião, as gestões irresponsáveis e incompetentes dos últimos anos conseguiram prejudicar ainda mais a empresa do que a corrupção. Dada à sua condição de monopolista e do potencial do mercado brasileiro, eu vejo a PETR como um excelente negócio, mas só pensaria em voltar a ser sócio da empresa se um dia ele vier a ser privatizada, coisa que eu acho muito difícil de acontecer neste país. 
     
    Enfim, cada um de nós tem seus objetivos e metas traçados para o seu IG e adota estratégias na direção de atingi-los.  Não é uma questão de certo ou errado, mas simplesmente aonde cada um pretende chegar. Vejo isto como uma situação normal, que nos dá a oportunidade de abrir discussões saudáveis como esta. 
     
    Grande abraço, 
    Luiz Alvim 

      Leitão, Capt. Gottlieb, Turco, Abreu, José curtiram isto.



    5  
    JX   18 dez 2017  

    EXCELSIOR FRIGORÍFICO: O QUE DIZER DELA?... - BAUH4

    Boa tarde Paulo, 
     
    Vou dar pitaco de novo nessa empresa q tb não passou na minha peneira. 
    Apesar de ter tido uma reviravolta nos lucros a partir 2011/2012, o q não me deixa confortável nessa empresa é não ter liquidez e só negocia PN sem tag along. Quando comecei a investir há uns 5 anos, eu não prestava atenção nessa questão de Tag along até tomar uma "rasteira" numa OPA da COELCE q eu tinha PN. 
     
    Então para que os amigos mais recentes não caiam em armadilhas ... Ver mais para minoritários, fica o alerta. 
     
    Abc, 
     
    JX

      Turco, Luiz_Alvim, Leitão, Diego, José curtiram isto.



    7  
    Diego   20 dez 2017  

    ANÁLISE DE CARTEIRA INICIAL

    Boa noite pessoal, 
     
    Andrey, você está com as mesmas dúvidas que praticamente todos aqui tiveram na montagem da carteira… e com o mesmo foco.. e te digo, o foco tem que ser outro: estudo aprofundado das empresas!!  
    O IG é uma técnica que funciona, porém muitos aqui fazem algumas modificações pessoais, oque só aconselho depois que estiver sabendo bem oque está fazendo. 
    Estabeleça critérios, estude os setores e defina os que mais te agradam, não tenha a diversificação ... Ver mais percentual dentro dos setores como um trilho, foco nas empresas. Nesta hora queremos estar dentro do jogo e definir o time, isso pode custar caro… Escolha com muita calma as suas empresas, sem pressa de definir todas… a ordem de entrada só vai influenciar na primeira compra. 
     
    Concordo que com o valor de seus aportes algumas empresas ficam quase inviáveis, no entanto, para a grande maioria das empresas isso não será problema.  
     
    Eu sigo o IG praticamente a risca, não mudo a ordem das minhas compras…. com um único detalhe que sempre destino um dinheiro para compras extras, e quando aparece uma oportunidade eu aproveito para abaixar o preço médio. 
     
    Aproveite as discussões que ocorrem aqui para aprofundar seus conhecimentos!! 
     
    Diego 

      Wandega, Turco, Leitão, Abreu, Seco, Luiz_Alvim, José curtiram isto.



    5  
    Turco   21 dez 2017  

    ULTRAPAR: O QUE DIZER DELA?

    Abreu, 
     
    Ainda não sou sócio da ULTRAAPAR, pois desejo substituir a PETROBRÁS por ela e por enquanto a saída da PETR, para mim, ainda é inviável. 
     
    Quanto a preocupação da substituição de veículos a gasolina por elétricos, seria para mim a menor das preocupações em relação a investir no ramo do petróleo e seus derivados. 
     
    "Quando eu era criança lá em...", isto lá pelos idos de 1960, já ouvia dizer que a gasolina é o que menos importava na exploração ... Ver mais do petróleo. Até dizia-se que para manter o preço da gasolina viável, talvez fosse preciso descartar a gasolina resultante do processo de refino, assim como já se fazia com parte do gás produzido.  
    E olhe que nem se falava, pelo menos aqui no Brasil, no famigerado MATERIAL PLÁSTICO, como popularmente são conhecidos um dos inúmeros POLÍMEROS SINTÉTICOS. 
     
    Desde então, o refino do petróleo evoluiu tanto que imagino que este provável mito de minha infância nem seja mais considerado. 
    Sou meio seletivo em relação a busca de conhecimento de assuntos que não digam respeito ao meu dia a dia, até por questão de tempo. 
    Não obstante, por curiosidade e comodidade dei uma pesquisada nos infográficos atuais sobre refino de petróleo e confesso que somente com base nestes três, me sinto seguro para continuar investindo no setor. 
     
    Há, ia me esquecendo: a ULTRAPAR é uma empresa bem diversificada. 
     
    http://www.ultra.com(...) 

                 

      Abreu, Leitão, MARTINS, José, Diego curtiram isto.



    3  
    Turco   21 dez 2017  

    VUCABRAS: O QUE DIZER DELA? - VULC3

    Se gostas do ramo ou procura diversificação tem empresas melhores no setor, por exemplo: 
     
    GRANDENE e  ALPARGATAS. 

      Luiz_Alvim, José, Capt. Gottlieb curtiram isto.



    4  
    Abreu   21 dez 2017  

    ULTRAPAR: O QUE DIZER DELA?

    Turco, obrigado pela resposta. 
     
    Realmente ela é uma empresa bem diversificada, inclusive tem investido muito no ramo de farmácias. 
    Entretanto, a maior parte do lucro tem sido proveniente da Ipiranga mesmo.  
     
    Quem me levantou essa "dúvida" foi um amigo que trabalha na gestão de fundo de investimento, pois comentei que ela entrou na minha carteira agora em agosto, e acredito que vá continuar. Como tem bastante gente aqui do Buteco que é sócio, achei interessante ... Ver mais conversarmos sobre isso.  
     
    A título de informação, ele comentou também que conversou um bom tempo com o RI da WEGE3. Pelo que ele passou, a Weg já está sendo considerada/precificada como uma das grandes players da área de motores elétricos para o futuro.

      Turco, Carlão_A, MARTINS, José curtiram isto.



    5  
    Turco   21 dez 2017  

    DISCUTINDO A VALE

    A Vale informou nesta quinta-feira, 21 que foi aprovada em Assembleia Geral Extraordinária, a migração das  
    ações da empresa para o Novo Mercado da B3, segmento de mais elevadas práticas de governança corporativa. 
     
    A cerimônia de adesão da mineradora ao Novo Mercado ocorrerá nesta sexta-feira, 22, na sede da B3. 
     
    Também foi aprovado a alteração no Estatuto Social para refletir a conversão de todas as ações PNA em ON, além de outras adequações necessárias ... Ver mais para a migração ao Novo Mercado.

      Claudia, Luiz_Alvim, José, Capt. Gottlieb, Diego curtiram isto.



    3  
    Diego   21 dez 2017  

    ANÁLISE DE CARTEIRA INICIAL

    Andrey, 
     
    Os critérios que utilizo são os que aprendemos no curso do Leitão, oque aprendi aqui no boteco foi a importância de se conhecer melhor as empresas, os negócios que estão envolvidos ( muitas empresas estão presentes em vários ramos que não são o principal); assim saberemos os planos das empresas e diferenciar problemas de conjuntura e estrutura. 
     
    A melhor fonte para este tipo de estudo é o site de relação com investidores (RI) de cada empresa, ali tem ... Ver mais muito material, um pouco pesado no início, mas com o tempo conseguirá filtrar bem oque realmente te interessa! Assine a newsletter em cada RI das empresas que te interessam e comece a acompanhar... e não tenha pressa! 
     
    Diego

      Leitão, Turco, Luiz_Alvim curtiram isto.



    1  
    Diego   21 dez 2017  

    CONSTRUÇÃO DA CARTEIRA - NOVATO

    Boa noite Moisés Jr! 
     
    A relação com os dividendos é muito individual.. não existe uma regra. 
    É um dinheiro que você recebeu de um investimento.. e você pode utilizá-lo como quiser: gastar, reinvestir, investir em outra coisa...  
    Penso que a maioria de nós tem a intenção, no longo prazo, de viver desta renda. No entanto, até chegarmos pode-se adotar algumas variações. 
     
    Vou dar o meu exemplo: todo mês faço o investimento gradual nas empresas da ... Ver mais minha carteira e também deixo um dinheiro na renda fixa para utilizar nas ""promoções"" do mercado, com isso, a minha carteira fica um pouco desequilibrada com o passar dos meses.... utilizo os proventos para equilibrar a minha carteira, normalmente faço isso em novembro e dezembro.  
     
    Lembrando: por enquanto é isso que faço, o volume que recebo dos proventos ainda é pequeno! 
     
    Diego 

      Luiz_Alvim curtiu isto.



    6  
    Luiz_Alvim   23 dez 2017  

    DISCUTINDO A VALE

    Caros amigos, 
     
    Eu estava me preparando para fazer um comentário neste tópico sobre a VALE, aberto pelo nosso colega Breno em 08/12/2014, pouco mais de três anos, portanto, e resolvi dar uma olhada lá atrás quando esta discussão começou. É interessante notar como um tópico, longo como este, conseguiu acumular uma quantidade de informações considerável sobre uma das empresas mais importantes da bolsa brasileira. É um exemplo vivo de como este espaço criado pele Mestre Leitão pode ... Ver mais ser útil para os investidores que se interessam por esta empresa. Muitos butequeiros passaram por este tópico nestes três anos e deixaram suas opiniões sobre a VALE, formando um acervo que pode ser muito útil para quem estiver pensando em estudar a empresa. 
     
    O dia de ontem (22/12/17) marcou a entrada da VALE no Novo Mercado da B3, o que melhora muito o nível de governança corporativa da empresa. Este foi um passo muito importante, dentro de um projeto maior dos atuais acionistas controladores, que é, até 2020, transformar a VALE num “Corporation”, ou seja, uma empresa sem controle definido. Com a entrada no Novo Mercado, espera-se que a demanda pelas ações da empresa aumente gradativamente, uma vez que novos acionistas devem ingressar na empresa agora que não existem mais restrições de governança. Aos poucos, também, os fundos de pensão que atualmente fazem parte do grupo de controle da VALE (PREVI, PETROS, FUNCEP e FUND CESP) poderão vender no mercado parte de suas ações, aumentando ainda mais a sua liquidez. 
     
    O novo presidente da VALE, Fábio Schvartsman, escolhido para comandar a empresa em março deste ano, vem conduzindo muito bem este processo de melhoria da governança. Ao mesmo tempo, ele definiu uma meta de reduzir a dívida líquida da empresa, atualmente em torno de US$ 20 bi, para US$ 10 bi até o final de 2018. A própria geração de caixa operacional da empresa deverá ser suficiente para alcançar esta meta. Neste novo patamar de dívida, a VALE deve aumentar substancialmente o volume de recursos destinados a pagar dividendos aos seus acionistas. Promessa do Presidente. 
     
    Abraço, 
    Luiz Alvim 

      José, Capt. Gottlieb, Leitão, Diego, Turco, Bruno Bartolomasi curtiram isto.



    4  
    Luiz_Alvim   23 dez 2017  

    ULTRAPAR: O QUE DIZER DELA?

    Olá Abreu, 
     
    Eu sou sócio da ULTRAPAR há quatro anos. Antes disso tinha a COSAN na minha carteira que comecei a comprar dois anos antes. As duas são concorrentes em seus negócios principais, pois a UGPA é dona da IPIRANGA e a CSAN controla a RAIZEN junto com os holandeses da SHELL. Esta minha preferência inicial pela COSAN foi porque na época eu não conhecia a ULTRAPAR. Quando tomei conhecimento de sua existência e fiz um estudo da empresa, não tive dúvidas: troquei toda a minha ... Ver mais posição de CSAN3 por UGPA3. Não é que a COSAN seja ruim, mas ULTRAPAR é bem melhor. Como você comentou, a IPIRANGA é o principal negócio da ULTRAPAR, mas a holding controla ainda a OXITENO (petroquímica), ULTRACARGO (armazenamento de combustíveis), ULTRAGAZ (distribuição de gás) e EXTRAFARMA (farmácias).  
     
    Uma das características da empresa é que ela investe pesado no crescimento dos seus negócios. Alguns dias atrás ela anunciou o seu programa de investimentos para 2018 aprovado pelo conselho: R$ 2,7 bilhões. A IPIRANGA vai levar 56% deste valor, sendo o restante dividido entre os demais negócios. A EXTRAFARMA vem crescendo bastante e no próximo ano vai começar a abrir as primeiras lojas no estado de SP. Atualmente o foco dela está no Norte e Nordeste do país. As farmácias possuem uma sinergia bem interessante com os postos da IPIRANGA. Há muito espaço ainda para crescer nestes dois negócios.  
     
    Com relação ao carro elétrico, no meu modo de ver, embora sua utilização tenha uma tendência de crescer ao longo do tempo, não vejo uma ameaça grande deste tipo de veículo para os que possuem motor a combustão. Em curto e médio prazos, não creio numa substituição em larga escala dos motores a combustão pelo elétrico. No longo prazo, talvez isto aconteça, mas penso que haveria tempo suficiente para uma adaptação por parte da empresa. Não sou especialista no assunto, mas imagino que os carros elétricos também precisarão ser reabastecidos e, porque isto não poderia ser feito num Posto Ipiranga? Não me parece fazer sentido a criação de uma infraestrutura de abastecimento inteiramente nova para os carros elétricos. Isto custaria uma fortuna. Por que, então, não aproveitar a infraestrutura de postos já existentes?  
     
    ULTRAPAR é um excelente negócio, muito bem gerido e com um ritmo de crescimento bem interessante. Como sócio, durmo tranquilo, mas sempre acompanhando a empresa bem de perto, é claro. 
     
    Abraço, 
    Luiz Alvim 
     
     

      Abreu, CAK, Leitão, Turco curtiram isto.



    5  
    Bruno Bartolomasi   30 dez 2017  

    EVOLUÇÃO IG X IBOV

    Bom dia, 
     
    Em primeiro lugar, tenho andado ocupado ultimamente, faz tempo que não dou uma passada no Buteco, hoje tirei o dia para me atualizar e fiquei feliz em ver que o nível aqui, como sempre, segue bem alto. Li muita coisa interessante :) 
     
    Em segundo lugar, quero desejar um feliz ano novo a todos os amigos e aos respectivos familiares! Temos boas chances de ter grandes movimentações na bolsa por ser ano eleitoral, então manter a disciplina será extremamente ... Ver mais importante para alcançarmos nossos objetivos de longo prazo. 
     
    Sobre o tópico em questão: Eu não costumo comparar com o IBOV, embora na planilha do Leitão que recebemos no final do curso exista essa comparação. O motivo que me fez abandonar essa prática é ver que, no longo prazo, uma carteira boa sempre irá bater o IBOV. Acontece que, bater o IBOV no longo prazo, não significa bater ele todos os anos, empresas boas costumam ter menos volatilidade do que empresas especulativas (lembre-se que o IBOV é formado pelas empresas com maior liquidez e não com melhores fundamentos), por exemplo, MGLU é do IBOV e saiu de cerca de 12 reais para mais de 80, uma valorização de mais de 560% e essa empresa não está na carteira da maioria dos amigos (não está na minha, por exemplo), PETR, OI... são várias empresas que não tem (ou nunca tiveram) fundamentos que estão ali. 
     
    Além de empresas ruins terem mais volatilidade, o nosso PM é construído ao longo dos anos, o que significa que nosso PM não será igual ao preço de mercado do início do ano. O IBOV sempre começa o ano do zero, ou seja, desconsidera as perdas do ano anterior, enquanto, para nós, consideramos o lucro a partir do nosso PM. 
     
    O terceiro ponto a ser considerado é que, via de regra, em um ano ruim para o IBOV nossas carteiras vão desvalorizar bem menos que o índice, fazendo com que, no longo prazo, a menor valorização em anos excelentes e a menor desvalorização em anos terríveis faça com que consigamos ter carteiras melhores que o índice ao longo dos anos. Até porque, caso isso não fosse verdade, nem valeria a pena investir em ações, visto que o IBOV no longo prazo perde para a renda fixa. Desconsiderando esse último ano (que ainda não fechei e estou com preguiça de procurar na net, rsrs) de 2007 até 2016 o IBOV rendeu 82,51% enquanto o CDI 110,07%. Se nossas carteiras não bater o IBOV no longo prazo estamos perdendo tempo e dinheiro... rsrs. 
     
    Abraço!

      Ugo Zanchi, Luiz_Alvim, Carlão_A, JX, aresno curtiram isto.



Edição de DEZEMBRO/2017

 

 

Produzido por: http://leitaoemacao.com/buteco

Edição de DEZEMBRO/2017

(Versão Beta, em teste.)

FOLHETIM