Visite: http://leitaoemacao.com

  Edição de JANEIRO/2017

    3  
    Luiz_Alvim   1 jan  

    PERFORMANCE DA CARTEIRA EM 2016

    Meu caro FH, 
     
    Entendo perfeitamente a sua angústia, mas, sinceramente, não vejo motivos para você desanimar da renda variável. Para te falar a verdade, também não estou satisfeito com o desempenho da minha carteira. Também aplico em RF e se fosse fazer uma comparação mais precisa, certamente a minha RV estaria perdendo para a RF. Eu vejo o investimento em ações como o investimento de uma vida e acho possível fazer a independência financeira através delas (as ações). Mas, para ... Ver mais que isto aconteça é necessário escolher boas empresas e investir regularmente, com objetivos de longo prazo (10, 20, 30 anos, ou mais). Escolher boas empresas a nossa turma aqui do Buteco, cada um com seus critérios, já aprendeu como fazer. Então, se tivermos disciplina e persistência, não tenho dúvidas de que chegaremos lá. 
     
    Um dos bons livros que já li sobre RV chama-se “Investindo em Ações no Longo Prazo”, de Jeremy J. Siegel. No capítulo 1 deste livro tem um gráfico que compara o desempenho de cinco diferentes tipos de investimento no período de 1802 a 2012 nos EUA. É impressionante a performance das ações. Já descontada a inflação, o retorno médio anual é o seguinte: 
    Ações: 6,6% 
    RF – Títulos de longo prazo: 3,6% 
    RF – Títulos de curto prazo: 2,7% 
    Ouro: 0,7% 
    Dólar: -1,4% 
    O autor mostra que US$ 1 aplicado em 1802 numa carteira bem diversificada de ações valeria em 2012 US$ 704.997. O mesmo US$ 1 aplicado em títulos de longo prazo do tesouro americano valeria US$ 1.778. 
     
    É claro que estamos no Brasil e as coisas por aqui são bem diferentes, mas, eu acredito que estamos iniciando um ciclo de reformas estruturais na nossa economia que serão muito positivas no médio e longo prazo. Se conseguirmos de fato controlar o déficit público, e implantar outras importantes reformas, estaremos abrindo o caminho para uma redução sustentável nas taxas de juros. E num ambiente de juros baixos por longos períodos, investir em ações de boas empresas será um negócio de retorno bem melhor do que a RF. Não tenho dúvidas sobre isto. 
     
    FH, 
    Sua carteira é bastante nova e você também. Converse com a sua sócia e mostre a ela que vale a pena continuar mantendo uma parcela dos investimentos de vocês na RV. Claro que não é para colocar todas as fichas num cavalo só, mas não desista das ações, e nem do “rock xroll” rs.rs.rs... 
     
    Grande abraço, 
    Luiz Alvim 

      Fabrício Tiburcio, aresno, FH curtiram isto.



    3  
    Fabrício Tiburcio   2 jan  

    PERFORMANCE DA CARTEIRA EM 2016

    Boa noite, 
    Em relação a minha carteira adequei para que a partir deste ano de 2016 tenha como avaliação de desempenho os mesmos critérios de rentabilidade e DY que o Luiz Alvim citou e usa. Convenci-me de que são os mais adequados para avaliação da carteira no longo prazo e não vou mais utilizar os critérios que usava anteriormente. 
     
    Meus resultados para 2016 foram os seguintes: 
    Rentabilidade de 5,5% e DY de 3,1%. 
     
    Em relação à rentabilidade ... Ver mais da carteira vejo que ela está cada vez mais se adequando ao que considero que seja o esperado para ela. Distorções da minha carteira de algumas ações ruins da época anterior à realização do IG de forma correta estão sendo corrigidas na medida em que estou me desfazendo de alguns papéis com paciência, de forma gradual e sem pressa e substituindo por outros do rodízio de IG. 
     
    Quanto ao DY, compras realizadas no decorrer de 2016 ainda não estão gerando provendos para a carteira e de um modo global a carteira recebeu menos provendos pela menor distribuição das empresas no decorrer do ano de 2016. 
     
    Em relação a minha carteira a vejo com otimismo para o ano de 2017. Primeiro porque acredito na melhora da economia de um modo geral para este ano; segundo porque vou ter terminado de realizar todas as correções de que minha carteira precisava; e terceiro por que o IG de forma regular está amadurecendo cada vez mais a carteira e estou vendo isso na prática. 

      aresno, Luiz_Alvim, Rafael_Resende curtiram isto.



    5  
    aresno   2 jan  

    PERFORMANCE DA CARTEIRA EM 2016

    Bom dia amigos e Feliz 2017 ! 
     
    Li todos os posts publicados até agora (09:32hs de 02/01/2017) e cheguei a duas 
    conclusões: 
     
    1. Foi muito bom fazer o Curso do Leitão, e 
    2. É considero ser muito tarde para eu começar uma Carteira de IG ! 
     
    Fazer o curso foi muito bom porque agora vejo a bolsa com mais conhecimento e 
    posso aplicar esse conhecimento no meu dia a dia. E muito mais ainda, porque posso 
    melhor orientar ... Ver mais meus filhos e netos. 
     
    E por que não começar uma Carteira IG agora ?  
    Porque todos nós temos um horizonte de vida e os meus não se encaixam na filosofia 
    da aplicação do IG, em razão da minha idade. Está explicito nos diversos  
    comentários a necessidade de se chegar a uma Carteira "amadurecida" para se ter  
    resultados e isso leva tempo demais para mim . . . 
     
    Mas o Curso me deu uma alternativa interessante: a Especulação.  
    Vou estudar essa alternativa com carinho, mas de imediato afasto qualquer idéia de 
    fazer "day-trade". 
     
    Sei que esse assunto também é tratado aqui, mas não tenho sei com que intensidade.  
     
    Antecipadamente agradeço comentários . . . 
     
    aresno 

      Luiz_Alvim, Carlão_A, Turco, Rafael_Resende, José curtiram isto.



    4  
    Turco   2 jan  

    PERFORMANCE DA CARTEIRA EM 2016

    Performance de minha carteira iniciada em 03/2013: 
     
    __ DY = Proventos / Valor Investido desde o início da carteira.  
     
    2016 ............ 12 meses ........  3,19 %. 
    2015............. 12 meses ......... 3,83 %  
    2014............. 12 meses ......... 4,95 %  
    2013.............   8 meses ......... 1,80 %                     ... Ver mais  
    Média do Período  .................. 3,44 %  
     
    __ RENTABILIDADE em 2016. 
    Usando o critério: 
    1__  VALOR ATUAL + PROVENTOS / VALOR INVESTIDO + CUSTO DE CAPITAL(*) da Planilha de IG do Leitão;   
    Minha carteira IG apresenta performance NEGATIVA de 16,64 %.   
     
    2__  VALOR ATUAL + PROVENTOS / VALOR INVESTIDO, que é o "deflaut" da Planilha de IG do Leitão; 
    O indice é POSITIVO em 10,70 %.     
     
    3__  VALOR ATUAL sem PROVENTOS / VALOR INVESTIDO; 
    O indice é NEGATIVO em 1,31 %.    
     
    (*) A taxa de Renda Fixa Média do Período utilizada como parâmetro na Planilha de IG do Leitão foi de 11%.    
     
    PERFORMANCE.   
    % = VALOR ATUAL DE MERCADO / VALOR INVESTIDO SEM CORREÇÃO 
    3 PIORES:          ETER3  - 62,06         CMIG3  - 45,04       VLID3    - 44,05                  
    3 MELHORES:     CIEL3   + 64,01       BBDC4 + 55,56        LREN3   + 45,62 
     
    Individualmente, os cinco melhores DY do ano foram: TIET4 (13,67%), GRDN3 (6,10%), BBDC4 (4,78%), EGIE3 (4,56%) e CCRO3 (4,065)

      Luiz_Alvim, aresno, José, Diego curtiram isto.



    11  
    Luiz_Alvim   4 jan  

    INICIANDO A MONTAGEM DE MINHA CARTEIRA IG - OPINIÕES DOS AMIGOS

    Olá Fernando Motta, 
     
    Seja muito bem-vindo ao Buteco. Este é um momento muito legal. Toda vez que o Mestre Leitão conclui a formação de uma nova turma de investidores, recebemos aqui novos colegas ávidos por colocar em prática os ensinamentos ministrados nos cursos.  
     
    Se você me permitir, antes de opinar sobre as duas empresas citadas, gostaria de fazer alguns comentários, baseados na minha própria experiência, que talvez possam ser úteis para você e os demais ... Ver mais colegas que acabaram de chegar. Vou colocar em forma de lista para ver se não esqueço de nada: 
     
    1 – Procurar conter um pouco a ansiedade, evitando fazer as primeiras compras muito rapidamente. 
     
    2 – Defina para você mesmo os objetivos do seu IG. 
     
    3 – Alinhado com os objetivos, pense na estratégia que deverá seguir. Tamanho da carteira, prazo, valor mensal que poderá investir, quantas empresas comprar por mês, tempo para o rodízio, etc. 
     
    4 – Defina os critérios de seleção que irá utilizar para selecionar as empresas para a sua carteira. Estes mesmos critérios serão utilizados posteriormente ao longo do tempo para acompanhar o desempenho das empresas escolhidas. Lembrar que os critérios podem e devem ser aprimorados ao longo do tempo. 
     
    5 – Faça uma lista das empresas candidatas e estude cada uma com a maior profundidade possível antes de decidir coloca-la na sua carteira. Investir em ações é arriscado e uma carteira diversificada sem dúvida ajuda a diminuir o risco, mas conhecer o melhor possível as suas empresas é fundamental. A palavra chave aqui é “conhecimento”, e para isto é preciso estudar, estudar e estudar. 
     
    6 – Falar é fácil, mas fazer, nem tanto. Para praticar o IG é preciso ter paciência e disciplina. Mesmo seguindo as regras direitinho, é preciso estar consciente de que não vamos acertar em todas as nossas escolhas. Até porque uma empresa é um ser vivo, em constante mutação. Todas elas buscam o aprimoramento para se tornarem cada vez mais competitivas, mas nem todas conseguem fazê-lo. O bom é que, de modo geral, uma empresa boa não se torna ruim da noite para o dia. Na grande maioria das vezes sinais de deterioração são emitidos, o que permite a nós acionistas avaliar se vale a pena continuar sócio de uma empresa ou não. Mas, para isto é importante fazer um acompanhamento mais de perto das nossas empresas. Chamo isto de “gestão da carteira”. 
     
    Bem, sobre as duas empresas citadas por você, seguem os meus comentários: 
     
    SANEPAR (SAPR4) – Não conheço a empresa em profundidade por um motivo simples: não invisto em empresas estatais, por melhor que elas possam parecer ser. É um critério particular meu e respeito os que pensam de forma diferente. O racional para este meu critério é bem fácil de entender: quando escolho uma empresa para a minha carteira, em princípio, penso que vou investir nela para sempre, ou até que ela deixe de ser boa pelos meus critérios. Além de analisar os indicadores passados, procuro avaliar também o negócio da empresa, sua estratégia de crescimento e a qualidade da sua gestão. É de se supor que os acionistas controladores querem o melhor para a empresa e irão contratar excelentes gestores para administrá-la. Só que numa empresa estatal, isto está longe de ser verdade. Os gestores são trocados toda vez que um novo grupo político assume o poder e, com muita frequência, a qualidade destes gestores é, no mínimo, duvidosa. O negócio de saneamento, onde atua a SAPR4, é muito interessante aqui no Brasil pois existe uma enorme demanda reprimida para este tipo de serviço. É uma pena que as empresas que atuam neste setor sejam todas estatais. Se um dia as privatizações acontecerem, existem várias empresas para serrem estudadas com carinho. Até lá, estou fora. 
     
    MRV (MRVE3) – Meu problema aqui é, em primeiro lugar, com o setor em si. Construção Civil e Incorporação Imobiliária não me agradam muito. Ao longo da minha vida presenciei muitas crises neste setor, que é fortemente cíclico. A maioria das empresas trabalha de forma muito alavancada, se endividando muito para poder crescer. Não acho um modelo muito saudável e, por isto, prefiro ficar longe destas empresas, mesmo sendo um mercado com elevado potencial de crescimento. Eu concordo com você que os indicadores da MRV são até bons. Entendo que é uma boa empresa, sem dúvida. Mas existe uma explicação para isto: o forte da empresa é atender o mercado da “Minha casa, minha vida”, programa do governo federal voltado para a população de baixa renda. É um baita mercado, mas são projetos que dependem diretamente de altos subsídios do governo. Se de uma hora para outra o governo decidir acabar com o programa, ou mesmo reduzi-lo mais fortemente, a MRV é uma empresa que deve sofre muito. Não invisto neste setor, mas a minha empresa favorita é a EZTtec (EZTC3). Sugiro a você estuda-la com carinho. 
     
    Fernando, 
    Os comentários acima são fruto da minha experiência pessoal. Este é um espaço democrático onde as pessoas podem manifestar a sua opinião livremente. Outros colegas podem pensar de forma diferente da minha, o que é perfeitamente normal. É assim que seguimos evoluindo. 
     
    Grande abraço, 
    Luiz Alvim 

      Rafael_Resende, Turco, Scofield, Carlão_A, Diego, Fernando Motta, Leitão, MARTINS, Flávio Pontes, Rafa M, Rafael Melo curtiram isto.



    3  
    Turco   4 jan  

    INICIANDO A MONTAGEM DE MINHA CARTEIRA IG - OPINIÕES DOS AMIGOS

    Fernando Motta, 
     
    As corretoras de bancos são em sua maioria são ruins de atendimento, engessadas e muito caras. 
     
    Anexo o link em que o assunto corretoras é discutido: 
     
               http://leitaoemacao.(...) 
     
    Quanto ... Ver mais ao material do BUTECO, como disse um colega que me perdoe não lembro quem, 
     
    "O BUTECO é a pós graduação do Curso do Leitão."

      Rafael_Resende, Carlão_A, Fernando Motta curtiram isto.



    3  
    Bruno Bartolomasi   5 jan  

    IG - QUERIDINHAS - POR QUE NÃO TRPL4? - TRPL4

    Olá amigos, sejam bem vindos ao buteco. 
     
    Esse lucro absurdo contabilizado agora é um não recorrente, conforme a nota: 
     
    Nota Técnica ANEEL nº 336/2016 - CTEEP reconheceu R$ 8,6 bilhões relativos a remuneração do ativo de concessão do RBSE, com impacto de R$ 7,1 bilhões no ativo financeiro, R$ 6,3 bilhões na receita operacional líquida, R$ 2,1 bilhões nas provisões de IRPJ e CSLL diferidos e R$ 4,2 bilhões no lucro líquido. 
    Efeito caixa previsto para iniciar ... Ver mais em julho de 2017. 
     
    Vocês estão começando agora, é sempre bom desconfiar quando algo ficar estranho demais, rsrs, uma empresa não pula de 517 para 4.8 bilhões de lucro de uma hora pra outra, rs. 
     
    Abraço!

      Fernando Motta, Francisco Albuquerque, Leitão curtiram isto.



    6  
    Luiz_Alvim   5 jan  

    PERFORMANCE DA CARTEIRA EM 2016

    Olá Edu, 
     
    Você andava meio sumido do Buteco, amigo. Precisa aparecer mais para participar conosco. 
     
    Minha carteira atual tem 22 empresas e está na planilha que anexei no primeiro post que publiquei neste tópico lá mais embaixo. Concordo com você que para fazer um bom acompanhamento dá um pouco de trabalho sim, mas acho que compensa. Além do mais, este trabalho de monitoramento das empresas me dá muito prazer. A diversificação é uma estratégia importante para ... Ver mais ajudar a diminuir o nosso risco. Oito empresas, como você está pensando, eu acho um número pequeno. Se tivéssemos certeza de que as oito escolhidas iriam sempre performar muito bem, seria ótimo, mas, não dá para garantir que isto vai de fato acontecer. Prever o futuro é impossível e, se uma ou duas falharem, isto pode comprometer muito os objetivos e metas que definimos para o nosso IG. O investimento em ações já é um dos mais arriscados pela própria natureza. Então, acho que uma diversificação maior é uma atitude prudente, especialmente no meu caso onde preciso atingir o meu objetivo num prazo mais curto (10 anos). 
     
    As minhas 22 empresas estão divididas em dois grupos. O primeiro, com 12 empresas, representa 70% do meu investimento em valor de mercado. Neste grupo estão: BBDC4, BBSE3, ABEV3, VALE5, EGIE3, UGPA3, WEGE3, ITSA4, CIEL3, CGRA4, TAEE11 e BVMF3. No segundo grupo, representando os 30% restantes estão: CCR03, GRND3, VIVT3, VLID3, SCAR3, EQTL3, LEVE3, NATU3, PARC3 e HYPER3. No meu entendimento, todas estas empresas são boas e vão me ajudar a cumprir a meta de DY da minha carteira que pretendo atingir ao final dos 10 anos. Todas elas atendem os critérios de seleção que eu mesmo defini, mas, o que é bom para mim, pode não ser para outros investidores, pois cada um tem seus próprios critérios. O DY da ação que a gente vê publicado por aí nos sites de investimentos não é um parâmetro de seleção para mim. Em minha opinião, uma das variáveis mais importantes para que uma empresa se torne uma boa pagadora de dividendos, é que ela apresente lucros crescentes com regularidade. Se isto acontecer, mesmo empresas que adotam o pay-out mínimo previsto em lei (25%) podem, ao longo do tempo, se tornar excelentes pagadoras de dividendos. Um exemplo disto é a Graziottin (CGRA4) que já foi bem discutida aqui no Buteco. 
     
    Com relação à Empiricus, eu sou assinante deles há vários anos. Atualmente assino quatro séries. A das Vacas Leiteiras é uma delas, mas quando a minha assinatura vencer não pretendo renová-la. Esta série nasceu de um jeito, mas mudou muito ao longo do tempo. Apesar do nome, o objetivo desta série é indicar ações que sejam boas para trades. Acho isto meio sem sentindo, pois, porque alguém iria se interessar por uma “vaca leiteira” se não for para receber dividendos ao longo do tempo. Já vi casos onde o analista indicou uma ação e ela acabou subindo bastante num prazo curto (2 ou 3 meses) e aí ele manda vender para embolsar o lucro e nem deu tempo para a empresa pagar um dividendo sequer. A Empiricus não tem uma série sequer que esteja orientada para o investimento em ações no longo prazo, como o IG que praticamos. É uma pena, porque eles têm bons profissionais na empresa que poderiam fazer um bom trabalho nesta direção. Quando se trata de ações, o foco deles está voltado mesmo é para trades. 
     
    Edu,  
    Espero poder ter te ajudado pelo menos um pouquinho.  
     
    Abraço, 
    Luiz Alvim 
     

      shi, Carlão_A, MARTINS, Saroba, Rafa M, Rodrigo curtiram isto.



    4  
    alsouza   6 jan  

    QUERIDINHAS DO BUTECO

    Olá, Pessoal  
     
    Gostaria de para parabenizar os aniversariantes de janeiro e desejar um excelente 2017 a todos. Seguem nome e idade da carteira em anos:  
     
    Igor Drago 7 
    João Magoo 6 
    cesar 6 
    Alfredo 5 
    Isluribas 5 
    CLAUDIO WILSON 5 
    Julio 5 
    Luiz Alvim 5 
    Chumbinhow 4 
    José_AC 4 
    Safo 4 
    EDUCOUTINHO 4 
    César 4 
    Mônica 4 
    Jovem há mais tempo 3 
    renan 3 
    Antonio 3 
    Rafael ... Ver mais Resende 3 
    renansc 3 
    Breno. 1 
    Flávio Pontes 1 
    jcAlb 1 
     
    Para quem não conhece, a versão mais atualizada das Queridinhas do Buteco está aqui:    
     
    http://goo.gl/c5ZLoq(...)            
     
    Note que tem duas abas lá no alto da página, a das Queridinhas e a das Carteiras. Esta última mostra as carteiras cadastradas.    
     
    Para incluir a carteira no levantamento, use o link:    
     
    http://goo.gl/8l0w4P(...)              
     
    A atualização dos dados é automática.            
     
    Para modificar a carteira, inclua a nova que eu apago a antiga.    

      Turco, Safo, Luiz_Alvim, José curtiram isto.



    3  
    Diego   7 jan  

    PERFORMANCE DA CARTEIRA EM 2016

    Olá amigos do Buteco,  
      
    Quero compartilhar com vocês o meus resultados! Minha carteira está com 4 anos e 7 meses, no entanto, 2016 foi o ano mais importante, pois consegui aumentar muito meus aportes, tanto que a soma dos últimos 12 meses representa 40% da minha carteira. Nesse percurso mantive 12 empresas até o final de 2015, e esse ano substitui 3 empresas e somei mais 8, totalizando 20 empresas até o momento, sendo que duas delas estão com cartão amarelo. 
     
    RENTABILIDADE  
    Como ... Ver mais utilizo a planilha do Mestre Leitão para acompanhar a minha carteira, o indicador de rentabilidade utilizado é o mesmo:  
    Rentabilidade = Valor de mercado atual + Proventos recebidos/Valor investido.  
       
    2012 =  4,90%  
    2013 = -1,90%  
    2014 = -6,00%  
    2015 = -20,8%  
    2016 = -0,40%  
       
    As três ações com melhor rentabilidade em 2016 foram: VALE5 (42,2%), ITSA4 (25,7%) e BBDC4 (21,8%).  
    As três ações com piores rentabilidades foram: ETER3 (-38,6%)-com cartão amarelo, VLID3 (-27,1%) e NATU3 (-19,8%). 
      
    DY DA CARTEIRA  
    A apuração feita para cada ano ficou assim:  
    2012 = 0,7%  
    2013 = 4,6%  
    2014 = 4,7%  
    2015 = 2,8%  
    2016 = 2,0%  
      
    Os melhores DY do ano foram: TAEE11 (5,2%), ITSA4 (4,2%) e BBDC4 (3,3%).  
      
    Muita saúde e sucesso pra todos integrantes deste espaço! 
      
    Grande abraço,  
    Diego 

      Luiz_Alvim, Turco, MARTINS curtiram isto.



    3  
    Nêgo   7 jan  

    PERFORMANCE DA CARTEIRA EM 2016

    Boa noite amigos do Buteco,   
       
    Quero compartilhar meus resultados!  
     
    RENTABILIDADE   
    Rentabilidade = Valor de mercado atual + Proventos recebidos/Valor investido.   
    2013 = -4,60%   
    2014 =   1,10%   
    2015 = -23,4%   
    2016 =   2,00%   
        
    03 Melhores 2016: SAPR4 (137,4%) - VALE5 (61,7%) - CSMG3 ... Ver mais (43,9%) ;   
    03 Piores 2016: ETER3 (-47,7%) - PMAM3 (-30,9%) -  VLID3 (-22,8%)   
       
    DY DA CARTEIRA   
    2013 = 3,94%   
    2014 = 7,52%   
    2015 = 5,16%   
    2016 = 4,36%   
       
    Os melhores DY 2016: PRBC4 (34,3%) - TIET11 (9,74%) - TAEE11 (8,93%).   
       
    Saudações, 
     
    Nêgo

      Luiz_Alvim, Turco, MARTINS curtiram isto.



    4  
    colombo   9 jan  

    INICIANDO A MONTAGEM DE MINHA CARTEIRA IG - OPINIÕES DOS AMIGOS

    Fernando, boa sorte nos novos investimentos !  
     
    alguns pontos para voce se atentar :  
     
    1 - o valor da ação de mercado nao diz se a ação esta barata ou cara o que diz isso seria o PL, preço da ação / lucro basicamente, considerando duas empresas com o mesmo lucro e demais indicadores, se uma empresa tem 100 ações circulantes a 40 reais cada e uma outra tem 1000 ações circulantes a 5 reais, a que custa 5 reais esta mais cara e nao mais barata do que a que custa ... Ver mais 40 ! acredito que voce ja saiba disso e o problema seja so o banco nao permitir fracionario ( acho ate estranho porque o bradesco e itau permitem ja operei por eles, basta utilziar o F na frente do codigo por exemplo BBAS3F ), de qualquer forma fica a dica ai ! =D  
     
    2 - pra começar a carteira procure empresas com ROE e ROIC acima da inflação ou ao menos bem proximo, que estejam com os lucros crescentes ou na atual crise que nao tenham caido muito, que a divida esteja sob controle obviamente considerando a crise ( leia-se crescendo e nao disparando ), paguem dividendos razoaveis ( algumas empresas nao pagam dividendos ou pagam pouco, porem crescem em valor e em mercado consequentemente acaba compensando nao se prenda somente aos dividendos pode ser um erro e acabar ignorando otimas empresas ) e acredito que o PL seja importante para os primeiros aportes voce pode fazer o planejamento de compra crescente apos escolher as empresas, depois voce vai poder ignorar isso tambem e seguir sempre a mesma ordem e valor de aporte, de qualquer forma procure empresas boas saudaveis e que vao consequir se recuperar rapidamente apos a crise, e pague barato nelas ! alguns bons exemplos abaixo :  
     
    - GRND3  
    - HGTX3  
    - BBAS3  
    - EZTC3 ( com essa empresa no ramo de construção civil nao vejo porque investir em mrv ou qualquer outra, eztc é sem duvidas a empresa mais bem administrada do setor )  
    - ITSA4  
    - CGAS5  
    - TAEE11  
     
     
    espero ter ajudado !  
     
    abraços  
     
     
     
     

      Luiz_Alvim, Fernando Motta, MARTINS, Seco curtiram isto.



    6  
    Bruno Bartolomasi   9 jan  

    INICIANDO A MONTAGEM DE MINHA CARTEIRA IG - OPINIÕES DOS AMIGOS

    Olá Fernando e demais amigos, 
     
    É comum quando saímos do curso querermos correr e montar nossas carteiras o mais rápido possível, entretanto, como o Luiz_Alvim falou, isso normalmente faz a gente se arrepender um pouco. A grande maioria cometeu um erro ou outro no começo que acabou se arrependendo depois, então é bom dar tempo ao tempo e estudar bem as empresas. 
     
    Um conselho que eu dou e que facilitou muito minha vida é estabelecer critérios claros para colocar ... Ver mais uma empresa na tua carteira e também critérios para dar cartão amarelo (parar de aportar mas manter ela encarteirada) e critérios para o cartão vermelho (eliminar ela da carteira). Não existe uma lista de critérios perfeita que funcione para todos pois cada um tem um objetivo diferente, alguns são muito novos, outros estão mais próximos da aposentadoria, alguns ganham pouco e aportam pouco, outros não. Então tudo isso é muito pessoal, mas é importante ter critérios que façam sentido para ti e isso te dará segurança quando vier a tempestade. Durante crises é comum o preço de ações caírem mais de 50% e nessas horas muita gente entra em pânico e vende só para se arrepender depois quando a crise passar. Esses critérios te ajudarão a manter a calma e continuar seguindo a disciplina. 
     
    Abaixo eu vou listar alguns dos meus critérios pessoais, eles funcionam para mim mas acabam excluindo muitas empresas que são queridinhas do buteco, por exemplo. 
     
    1- Eu não invisto em empresas que tenham menos de 5 anos de bolsa (isso exclui PARC e BBSE, por exemplo) 
    2- Eu não invisto em empresas que não tenham um aumento de, pelo menos, 100% nos lucros por ação durante os últimos dez anos usando médias trienais no início e no fim (aqui eu abri uma exceção para BBAS, cuja média de aumento de lucro foi de apenas 53,74%) 
    3- Não invisto em empresas que tenham algum prejuízo anual nos últimos 10 anos 
    4- Não invisto em empresas cujo lucro anual recente é menor do que 100 milhões, sendo o ideal, pra mim, acima de 500 milhões.  
    5- Não compro uma empresa cujo P/L médio dos últimos 3 anos esteja maior do que 15  
     
    Enfim, esses são alguns dos meus critérios, tenho outros, mas o objetivo disso não é te incentivar a copiar meus critérios, mas criar os teus próprios para te ajudar na escolha de empresas boas e lucrativas e que te darão paz para dormir a noite mesmo durante crises. 
     
    Abraço!

      Fernando Motta, Diego, MARTINS, neilorp, Alex, FH curtiram isto.



    5  
    César   9 jan  

    PERFORMANCE DA CARTEIRA EM 2016

    Amigos,  
     
    Registro que é muito bom começar o ano com a leitura desse tópico, pois considero esse exercício de comparação bem importante para o reforço de muitos conceitos na área dos investimentos. 
    Acredito que estamos em uma época propícia para a acumulação de bons ativos, já que, como já disse algum guru, o acumulador deve torcer para anos de bear market, e não o contrário. 
     
    Infelizmente não tenho o histórico ano-a-ano das rentabilidades contando os ... Ver mais proventos. Se houver alguma curiosidade a respeito do relato abaixo, fiquem a vontade pra perguntar.  
     
    Nominalmente, minha carteira de ações performou da seguinte forma: 
     
    2011 ......14,12% 
    2012....... 6,07% 
    2013.......(- 2,48%) 
    2014.......(- 10,90%) 
    2015.......(- 15,16%) 
    2016...... 44,90% 
     
    No acumulado, até 31/12/16, estou no positivo em 12,28%. 
     
    Quanto ao DY da carteira, de acordo com a planilha do leitão, tenho o seguinte: 
     
    2014.......3,10% 
    2015.......2,93% 
    2016...... 2,66%......3,41%* 
    (*) ao contar como dividendo o lucro advindo de uma venda parcial de VALE5, visando ao rebalanceamento da carteira de IG. Conto como dividendo, pois o resultado foi revertido integralmente para a compra de outros papéis da mesma carteira. 
     
    No acumulado, até 31/12/16, os dividendos representam 6,59% do total aportado ou 7,34% considerando o "lucro" no rebalanceamento da carteira.  
     
    Não considero minha carteira madura, porque, apesar de ter comprado algumas ações há mais de 5 anos, apenas a partir de 2013 passei a levar mais a sério o assunto; e só em 2014 que eu fiz o curso do Leitão, onde pude consolidar vários conceitos e desenvolver uma estratégia que é confortável para mim. 
     
    Tenho certeza de que se eu não praticasse o IG e não conhecesse a possibilidade de fazer algumas especulações com swing trade, minha situação seria bem diferente (pra pior). 
     
    A melhor ferramenta que o curso me apresentou e vocês me ajudam a trabalhar é observar a carteira de ações como um time e procurar ver a manada do alto.  
     
    Por entender que está dando certo, deixo aqui minha contribuição, e agradeço de coração a todos por me acompanharem nessa caminhada. 
     
    Fico à disposição. 
     
    Abraços 
    César 

      Leitão, Carlão_A, Luiz_Alvim, MARTINS, José curtiram isto.



    7  
    Carlão_A   16 jan  

    PERFORMANCE DA CARTEIRA EM 2016

    Caros Amigos, 
     
    Compartilho desempenho da carteira, lembrando que a rentabilidade é a acumulada: 
     
    RENTABILIDADE    
    Rentabilidade = Valor de mercado atual + Proventos recebidos/Valor investido.    
    2013 = -3,30%  (sem proventos -4,00% no ano) 
    2014 =  -3,90% (sem proventos -2,20% no ano) 
    2015 =  -8,80% (sem proventos -20,50% no ano) 
    2016 =  +13,80% (sem proventos ... Ver mais +21,30% no ano) 
         
    As melhores valorizacoes 2016: VALE5 (127,7%), PETR4 (121,9%), CGRA4 (82,9%)  
     
        
    DY DA CARTEIRA    
    2013 = 3,23%   
    2014 = 7,32%    
    2015 = 1,94%    
    2016 = 2,94%    
        
    Os melhores DY 2016: TAEE11 (11,03%)., CTIP3 (4,92%), POMO4 (4,89%) 
     
    ABS 
     
    CARLAO A

      MARTINS, Luiz_Alvim, Turco, Diego, neilorp, José, Rafa M curtiram isto.



    11  
    Bruno Bartolomasi   18 jan  

    COMPRAR AÇÕES COM LUCRO CRESCENTE, MAS HISTÓRICO DE VALORIZAÇÃO ABAIXO DO IBOV É UMA BOA ESTRATÉGIA?

    Olá RonaldoMG, bem vindo ao grupo :) 
     
    Em primeiro lugar, não entendi bem o que tu quis dizer com "cotação abaixo do IBOV", mas mesmo assim, não levo o IBOV em consideração na hora de escolher uma empresa. O IBOV é um termômetro muito ruim, baseado somente em liquidez do papel, não na qualidade das empresas. 
     
    Sobre os critérios do André Fogaça, eu não o conheço (tampouco o site dele), mas sou adepto de ter critérios claros para montar a carteira. Sobre os quantos ... Ver mais pontos: 
     
    1- Ter um filtro de liquidez tem sua utilidade, que é mais importante para sair do papel do que entrar, mas eu não encano com o valor do volume médio, tendo uns 100 negócios por dia já é suficiente pra mim. 
     
    2- Eu uso 10 anos e não coloco empresas que tiveram um prejuízo anual dentro desse período. 
     
    3- Dividendos constantes nos últimos 5 anos, ao meu ver, é um dado inútil. Benjamin Graham recomenda um histórico de pelo menos 20 anos, como nosso mercado não é maduro o suficiente para uma carteira de empresas assim (lembrando que nos EUA existem rankings de empresas que pagam dividendos crescentes por mais de 60 anos e outras que pagam dividendos constantes há mais de 200 anos), eu ignoro isso. 
     
    4- Procurar por payout alto não me parece uma boa estratégia, pois, no longo prazo, uma empresa com um payout menor mas com lucros crescentes tende a pagar mais dividendos do que uma com payout grande e lucros estáveis. Por exemplo, uma empresa que tem um lucro de 1000 e paga 25% de dividendos, pagou 250. Enquanto uma empresa que tem um lucro de 1000 e paga 70%, pagou 700. Entretanto, a primeira, por investir nela mesma e crescer os lucros, em 10 anos ela poderá, por exemplo, ter um lucro de 10000 e pagar 25%, ou seja, 2500, enquanto a segunda segue pagando os 700. Um exemplo disso é o Bradesco, ele nunca foi considerado uma empresa boa pagadora de dividendos, entretanto, quem investiu 10 mil em 94 (um estudo feito sobre a evolução das empresas no plano real) e simplesmente reinvestiu os dividendos, hoje tem 2,5 milhões. De todas as empresas que mais deram lucro, nenhuma era considerada boa pagadora de dividendos ou tinha um payout grande. Agora, se tua visão é simplesmente aproveitar os dividendos e não reinvesti-los na carteira, ai sim, uma empresa com um bom payout pode valer a pena. 
     
    5- Pode ordenar por DY, por crescimento de lucros, por ROE, ROIC... qualquer coisa que quiser, desde que os riscos disso estejam claros. No curso aprendemos a fazer o rodízio sem se preocupar com a cotação, simplesmente ir comprando naquela ordem, uma após a outra, pois o preço médio fará com que compremos muito quando o mercado cair e pouco quando subir, dando um bom retorno no longo prazo. Já quem decide usar outro critério, como o melhor DY, tem riscos diversos a serem considerados, por exemplo, um dos melhores DY atuais é a TAEE11, faz meses que está maior do que 11%, isso é muita coisa! Tu poderia comprar Taesa todo mês, mas vale a pena? Para alguns sim, para outros não, seja como for, colocar uma regra de ordenação necessariamente te obrigará a comprar empresas fora da tua regra para aumentar a diversificação ou tu terá que aceitar o risco de uma carteira menos diversificada. 
     
    Eu tenho critérios que não me permitem seguir o IG "correto", já falei aqui em outros posts, tenho grande concentrações em bancos e tenho poucas empresas em carteira, todo mês eu compro a empresa que está mais atrativa segundo os meus critérios (de uma lista de 22 empresas que sigo de perto, possuo 7 em carteira), já cheguei a comprar a mesma empresa por 4 meses seguidos (BBAS), não tenho problemas com isso, mas estou ciente dos riscos, estou disposto a correr esse risco em busca de uma rentabilidade superior e de seguir o que acredito ser o melhor pra mim, se der errado, eu sou novo, posso arriscar estar errado agora, rs.  
     
    O método que o Leitão ensina no curso é correto e funciona, qualquer coisa diferente disso pode ter uma rentabilidade superior ou inferior, ai é, como dizem na minha terra "cada um com seus cada um", rsrs. 
     
    PS:  Como o DY é baseado no dividendo distribuído no passado, nada garante que o dividendo desse ano será igual ou superior ao anterior, ou seja, basear-se no DY pode não sair bem como o planejado, uma empresa que custava 20 e pagou 1 de dividendo (5%) pode cair para 10 e tu comprar achando que receberá 10%, mas acaba recebendo 1% pois a empresa resolve, esse ano, pagar 0,10. 
     
    O texto ficou um pouco longo mas espero que tenha ajudado, 
    Abraço! 
     

      Gabriel Cançado, Carlão_A, Fernando Motta, RonaldoMG, Zeca_Filho, Scofield, José, Rafael_Resende, Alex, Rafael Melo, Buloto curtiram isto.



    10  
    Bruno Bartolomasi   23 jan  

    COMPRAR AÇÕES COM LUCRO CRESCENTE, MAS HISTÓRICO DE VALORIZAÇÃO ABAIXO DO IBOV É UMA BOA ESTRATÉGIA?

    Olá amigos, 
    Bom, está um pouco difícil formatar o texto em uma ordem para responder a todos sem ficar muito embaralhado, mas vamos lá, rsrs. 
     
    Mendigo_Suiço,  
    eu acredito que a diversificação ideal para ter proteção e rentabilidade é ter entre 10 e 30 empresas na carteira. Eu gostaria de observar mais que as 22, no mundo ideal, eu acompanharia umas 60 para conseguir selecionar apenas as 10 ~ 30 melhores para a carteira, mas nosso mercado não possui tudo isso e ... Ver mais 22 é o que eu consegui, ainda assim, tem empresas na minha lista que eu tenho um pouco de pé atrás, rsrs. Eu não tenho trabalho formal, trabalho em casa então acabo tendo um pouco mais de tempo livre que o normal, por isso consigo acompanhar as empresas. A questão, pra mim, é que a diversificação é algo natural com o tempo, eu não compro várias empresas só pelo objetivo de diversificar, eu compro o que está melhor hoje, mês que vem comprarei o que estiver melhor naquele mês e no decorrer dos meses e anos eu terei uma carteira bem diversificada. 
     
    RonaldoMG, 
    1- a Grazziotin não está na minha lista porque, pra mim, ela tem 2 problemas: 1- os lucros dela são pequenos demais (o melhor ano dela, nos últimos 10 anos, foi 2014 que teve apenas 59 milhões) e o crescimento de lucros dela, nos últimos 10 anos, também foi minúsculo, usando a regra do triênio, ela passou de 28 milhões para 53 milhões (o crescimento nos lucros foi maior do que 100%, seria o  mínimo aceitável para entrar na minha carteira se não fosse pelo primeiro quesito, ser pequena demais. Eu consideraria ela como uma empresa boa se o crescimento nos lucros fosse maior do que 180%) 
    2- Utilizo o prejuízo anual no filtro inicial, se vi um prejuízo já excluo das minhas opções, por isso não acompanho, por exemplo VALE, ETER, etc... 
    3- Considero inútil porque 5 anos é um período muito pequeno para considerar “constante”, Benjamin Graham recomenda 20 anos, isso sim é tempo o suficiente. Como nosso mercado não permite isso, eu ignoro, acredito que facilita meu trabalho e me impede de ser enganado por empresas tipo OIBR, etc. 
    4- Tinha entendido o contrário, rs. 
     
    Thiago cusin, 
    As empresas que sigo são: ABEV, BBAS, BBDC, BBSE*, BVMF**, CCRO**, CIEL, EGIE, EQTL, EZTC, GRND, ITUB, LREN, MDIA, ODPV, PSSA, RADL, TAEE, TOTS, UGPA, VIVT, WEGE. 
     
    * Não possui tempo o suficiente na bolsa para entrar na minha carteira, mas eu vejo ela com bons olhos então mantenho ela no radar 
    ** Tenho um pé atrás com essas duas empresas, mas mantenho no radar caso surja uma excelente oportunidade de compra, só comprarei se estiverem uma verdadeira pechincha. 
     
    As empresas na minha carteira são: ABEV3, BBAS3, BBDC3, CIEL3, GRND3, ITUB3 e TAEE11. Dessas empresas, a ABEV e a CIEL estão aí pois fazem parte da minha antiga carteira, quando eu saí do curso e tinha outros critérios (ignorava o preço, olhava apenas os fundamentos), por isso são também as de pior resultado até agora. 
     
    Sobre os meus critérios, para a carteira IG eu uso dois critérios básicos: 1- a minha boa vontade. Aqui entra coisas do tipo “não gosto do setor” ou como alguns colegas que não investem em empresas estatais, enfim, coisas que vão além dos números. 
    2- os critérios adaptados por mim do livro Investidor Inteligente, do Benjamin Graham. As adaptações foram para atualizar os números dele pela inflação para ter uma equivalência hoje e também para adaptar ao nosso mercado que é bem mais fraco que o dele. Sobre esses critérios, uso 6: 
     
    1- Tamanho adequado da empresa: O objetivo desse critério é excluir empresas pequenas que estão mais sujeitas a adversidades acima do normal, por isso, procuro investir em empresas que tenham um faturamento anual recente superior a R$500 milhões, sendo o mínimo aceitável R$100 milhões. Só aceito comprar empresas que lucram menos do que 500 milhões caso todos os outros números sejam muito chamativos. 
    2- Uma condição financeira suficientemente forte, ou seja, dívida controlada.  
    3- Estabilidade nos lucros: a empresa deve apresentar lucros nos últimos 10 anos 
    4- Crescimento nos lucros: Uso médias trienais para fazer esse cálculo, isso serve para filtrar um ano excepcional e um ano terrível e ver a empresa por uma média, faço da seguinte forma, vou colocar em formatação de Excel para facilitar: (((lucros de 2014+2015+2016)/3))-((lucros de 2007+2008+2009)/3))/((lucros de 2007+2008+2009)/3). Aqui também não tem uma regra fixa, eu evito comprar empresas cujo lucro sejam menores do que 100%, sendo o ideal 180% ou mais.  
    5- Razão preço/lucro moderada: Evito comprar empresas cuja cotação esteja maior do que 15 vezes os lucros médios dos últimos 3 anos (15 também é arbitrário, pode-se usar 10, 20, enfim..) 
    6- Razão preço/ativos moderada: Essa é a parte mais complicadinha, a princípio, o ideal seria não comprar empresas cuja cotação esteja maior do que 1,5x o valor contábil (valor patrimonial) entretanto, algumas empresas são boas geradoras de caixa e não tem um valor patrimonial tão alto, portanto, uso a seguinte fórmula: RAIZ(22,5*VALOR PATRIMONIAL*LUCRO POR AÇÃO). O 22,5 vem da conta 1,5*15, ou seja, a união das regras 5 e 6. 
    7 – Regra do desempate: Uso o DY para desempatar, alguns meses terão várias empresas dentro das regras e então dou preferência para aquelas com maior DY ou então compro mais de uma empresa no mês, aqui fica mais aberto pra minha boa vontade na hora, rs. 
     
    Acredito ter respondido tudo, rs. Lembrando que esses são meus critérios pessoais, não são uma recomendação e não são garantia de um rendimento superior, apenas algo que uso para a minha carteira. 
     
    Abraço! 

      Fernando_Klem, César, Carlão_A, José, Turco, André, Alex, Seco, Rafa M, RonaldoMG curtiram isto.



    3  
    Túlio   27 jan  

    CONTROLE IG X ESPECULAÇÃO

    Olá Sílvio. 
    Conforme aprendemos com o mestre Leitão, nunca devemos misturar as estratégias, até porque, IG é investimento, e Especulação não. 
    Portanto, se você quer especular (eu também especulo, com responsabilidade), sugiro que se tenha uma planilha/controle diferente, para não se atrapalhar nos cálculos e acompanhamento de sua carteira. 
    Forte abraço

      Silvio, Turco, Jânio CF curtiram isto.



    5  
    Turco   27 jan  

    CONTROLE IG X ESPECULAÇÃO

    Silvio, 
     
    Este assunto já foi tratado aqui, se não me engano com uma dúvida sobre preço médio. 
     
    Como não consegui achar os links em meus "alfarrábios", vou tentar eclarecer:   
     
    1__  O cálculo do preço preço médio na Planilha de IG do Leitão é feito pela divisão do Valor aplicado pela quantidade de ações da carteira; 
     
    2__  Já legislação do Imposto de Renda estabelece que o cálculo do Preço Médio ... Ver mais deve ser feito pela média ponderada do valor e da quantidade de todas as compras efetuadas; 
     
    Desta maneira, enquanto não houver venda na Planilha de IG do Leitão, os valores são idênticos. Havendo venda os valores da Planilha ficam em desacordo com a legislação. E se houver compra e venda por Especulação, como não será lançado na Planilha de IG, também 
     
    O que fazer?? 
     
    Para não ficar em desacordo com a legislação, eu mantenho dois controles: 
    1. Para efeito e controle de preço médio do IG considero o valor da Planilha; 
     
    2. Para apuração do valor do imposto de renda a recolher e na Declaração de Bens na Declaração Anual do Imposto de Renda, utilizo a planilha de Cálculo de Preço Médio, que desenvolvi obedecendo a legislação e que foi aperfeiçoada pelo colega Fungêncio Bontempo. 
     
    Anexo planilhas com dados reais que didáticamente exemplificam o enunciado 
     
     
              

           

      Leitão, Nêgo , Jânio CF, Silvio, Diego curtiram isto.



    13  
    Turco   28 jan  

    IMPOSTO DE RENDA _ DECLARAÇÃO 2017-2016

    Olá pessoal, 
     
    A partir do dia 01 de fevereiro começarão a chegar os Comprovantes de Rendimentos para embasar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda, ano base 2016. 
     
    Pelo que li nas Instruções Normativas da RECEITA FEDERAL nada muda em relação a Receitas Variáveis. 
     
    Desta maneira, as dicas do Tópico IR-IMPOSTO DE RENDA _ DECLARAÇÃO 2016-2015 continuam válidas, assim como os demais tópicos da etiqueta Imposto de Renda do mosaico do BUTECO. 
     
    ... Ver mais target=_blank HREF="http://leitaoemacao.com/b2/buteco2.asp?topico=1048&resposta=18106#18106"http://leitaoemacao.(...) 
     
    Não obstante, estarei à disposição para dúvidas pontuais! 
     
     

      César, Leitão, Carlão_A, JX, Paulo RS, Luiz_Alvim, Safo, Ugo Zanchi, José, Rafa M, MdeCarvalho, Bruno Bartolomasi, Diego curtiram isto.



Edição de JANEIRO/2017

 

 

Produzido por: http://leitaoemacao.com/buteco

Edição de JANEIRO/2017

(Versão Beta, em teste.)

FOLHETIM